Água e Regime Hídrico

Entender como é feita a absorção de água e nutrientes é peça chave para compreender o metabolismo das plantas. A água nunca é 100% livre de sais, a não ser que ela seja destilada. Toda água tem suas próprias características e podemos até classifica-las como leve, moderada ou pesada, de acordo com a concentração de cálcio e outros elementos.

Os tipos de água

A água é um termo teórico, que só se manifesta de forma empírica quando está relacionada a alguma realidade específica. Na natureza não existe o H2O, a fórmula teórica da água, que os humanos criaram para poder pensar e trabalhar com ela. Na natureza o que existem são águas de diferentes fontes, cada uma com sua particularidade. Cada fonte de água mineral, por exemplo, tem um perfil de minerais e um pH próprio. O mesmo ocorre com as águas que recebemos nos centros urbanos, variam de cidade a cidade e, em grandes capitais, essa oscilação pode ocorrer de um bairro a outro.

A água que sai das torneiras nos centros urbanos é altamente carregada de cloro e outros químicos utilizados no processo sanitário. Além de ter uma variação grande de pH de uma cidade para outra. O cloro é fácil de ser eliminado, basta deixar a água num recipiente aberto por ao menos 24hs antes de ser usada que ele vai evaporar totalmente. É possível também ferver a água, para acelerar o processo, ou colocá-la ao sol. Também é bom que a água armazenada seja constantemente oxigenada com um compressor de ar ou uma bomba de aquário. Mas os outros elementos não irão sair, só o cloro. Essa água não vai prejudicar o cultivo, desde que o pH esteja regulado e não tenha grandes concentrações de produtos tóxicos às plantas. Se for potável para humanos é potável para as plantas. 

 

Cerca de 80 a 90% da estrutura do vegetal é água. Isso nos dá dimensão da importância que esse elemento tem em sua vida. Seus processos metabólicos dependem diretamente da qualidade da água e dos nutrientes na sua dieta. A planta vai utilizá-los para produzir a seiva com o qual se alimentará para produzir suas flores e resina, mas também toda e qualquer estrutura nova em seu corpo.

 

Regime hídrico

Uma planta adulta precisa de mais água que uma mais jovem. Do mesmo modo, uma planta maior e mais arbustiva bebe mais água do que uma menor e menos ramificada. Porém, o tamanho da planta, a quantidade de folhas e sua idade não são os únicos fatores determinantes. Plantas em vasos menores precisam ser regadas com mais frequência que plantas em vasos maiores, por exemplo. Quantidades de horas por dia expostas à luz, intensidade das lâmpadas, tipos de substratos usados no solo e linhagem genética são apenas alguns exemplos de outros fatores que podem determinar o ritmo de consumo de água e nutrientes.

 

O clima é também um dos principais fatores que interfere no regime hídrico e no ritmo de absorção de água. Em ambientes mais úmidos as plantas demoram mais para precisar serem hidratadas, tanto porque elas vão desidratar menos, como também o solo não perderá água por evaporação. Já em ambientes secos ela transpirará mais intensamente e também perderá água do solo por evaporação. Em climas mais quentes a evaporação também é maior, e em climas mais frios, menor.

 

Qual o ritmo de rega?

Com o tempo, você aprenderá a entender quando o solo está seco e precisando de mais água. Aos poucos, também ficará mais familiarizado com o ritmo biológico das variedades que escolheu cultivar. O solo jamais deve ficar totalmente seco ou encharcado, mas também não pode ser mantido sempre na mesma umidade.

Quem vai ditar este regime é a planta. O ideal é regá-la com abundância e deixá-la secar quase totalmente, para então regá-la de forma abundante novamente, simulando a dieta das chuvas num ambiente semiárido. Normalmente isso leva de 5 a 10 dias, mas pode levar mais ou menos tempo, de acordo com diversos fatores. Quanto maior o vaso, mais tempo o solo vai demorar a secar, a não ser que o vaso esteja completo de raízes e a planta seja proporcionalmente grande.

Rega foliar?

A hidratação das plantas deve ser realizado prioritariamente através das raízes. A estrutura das folhas tem capacidade para absorver água e nutrientes também e isso pode ser usado em situações de emergência, extrema desidratação ou em caso de alguma deficiência específica. A via foliar também pode ser muito útil no processo de inoculação de microrganismos benéficos à saúde da planta ou na aplicação de algum defensivo. 

APOIO:

d0258945-7955-4cb3-b2f6-c17328750677.jpg
LogoWeb2.jpg
topo_juliana.jpg
mm_genetics_small.png

© Desde 1998 jardineiro de Maria